23 de fevereiro de 2012

Encontrada garota da foto símbolo da insatisfação com o regime militar


Revelada a identidade da menina que aparece na foto de Guinaldo Nicolaevsky se recusando cumprimentar Figueiredo


Na foto, a garota Rachel Clemens

Após quase 32 anos, veio a público a identidade de uma menina de cinco anos que virou símbolo da insatisfação com o regime militar (1964-1985) após ser fotografada rejeitando o cumprimento do então presidente João Figueiredo (1979-1985).

A informação foi veiculada no “Jornal da Globo”, da TV Globo, na última sexta. O registro foi feito em 1979 pelo fotógrafo Guinaldo Nicolaevsky durante uma cerimônia no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte.

Na foto, a garota Rachel Clemens aparece de braços cruzados enquanto o ex-presidente tenta cumprimentá-la com um aperto de mão.

A Folha deixou um recado para Clemens, mas não obteve resposta até o fechamento desta edição.

Em seu blog pessoal, ela conta que não cumprimentou Figueiredo porque não queria fazer algo “obrigada”, já que as pessoas ao seu redor insistiram para que ela o cumprimentasse.

Apesar de seu relato desmistificar o simbolismo da foto, ela escreveu que ficou “orgulhosa por ter servido de alento para tantos brasileiros” e para “crianças que queriam estar no meu lugar por seus pais estarem presos [pela ditadura militar]“.

Ela conta ainda que só percebeu que a foto era famosa em 1986, durante uma aula de história no colégio. Clemens passou a tentar encontrar o fotógrafo, sem sucesso.

Em 2008, amigos de Nicolaevsky fizeram uma campanha em blogs e sites para tentar descobrir a identidade da garota, mas ele morreu no mesmo ano sem conhecê-la.

Para a filha dele, Bertha Nicolaevsky, o verdadeiro motivo do não cumprimento não diminui a importância histórica da foto.

“Era uma garotinha, que não sabia nada sobre política, obviamente. Mas a imagem, no contexto político da época, significava uma rebeldia contra a ditadura, era um sentimento da época”, disse.

Segundo ela, o pai morava no Rio de Janeiro, mas se mudou para Belo Horizonte porque foi perseguido em razão da militância no PCB (Partido Comunista Brasileiro).

“Ele se mudou por causa da repressão. Por isso, aquela foto representava o que ele pensava, era um repúdio à perseguição política”, disse.

Karina Carreira #12




"Há uma história por trás de cada pessoa. 

E há uma razão pela qual elas são do jeito que são... 

Então não julgue sem antes conhecer." 




Karina Carreira

14 de fevereiro de 2012

My Bad Reputation




"My Bad Reputation" 


"I don't give a damn 'bout my reputation 
You're living in the past it's a new generation 
A girl can do what she wants to do and that's 
What I'm gonna do 
An' I don't give a damn ' bout my bad reputation 

Oh no not me 

An' I don't give a damn 'bout my reputation 
Never said I wanted to improve my station 

An' I'm only doin' good 
When I'm havin' fun 
An' I don't have to please no one 
An' I don't give a damn 
'Bout my bad reputation 

Oh no, not me 
Oh no, not me 

I don't give a damn 
'Bout my reputation 

I've never been afraid of any deviation 

An' I don't really care 
If ya think I'm strange 
I ain't gonna change 
An' I'm never gonna care 
'Bout my bad reputation 

Oh no, not me 
Oh no, not me 

Pedal boys! 

An' I don't give a damn 
'Bout my reputation 
The world's in trouble 
There's no communication 
An' everyone can say 
What they want to say 
It never gets better anyway 
So why should I care 
'Bout a bad reputation anyway 
Oh no, not me 
Oh no, not me 


I don't give a damn 'bout my bad reputation 
You're living in the past 
It's a new generation 
An' I only feel good 
When I got no pain 
An' that's how I'm gonna stay 
An' I don't give a damn 
'Bout my bad reputation 

Oh no, not me 
Oh no, not 
Not me, not me" 


Joan Jett - Bad Reputation

13 de fevereiro de 2012

"...tudo valerá à pena?"




"Você se senta enquanto observa o sol se pôr e se pergunta se tudo valerá à pena. O sangue que escorreu pelo seu rosto já disse a verdade. Corra e morra sem medo de errar, viva a vida apenas pelo prazer de tentar. Chega uma época em que você decide mudar, mas nunca se sabe se é para melhor ou pior. A verdade meu caro, é que mesmo fazendo a coisa certa mais escandalosa, você sempre será julgado como o errante sutil. De dose em dose eu vou vivendo pelas ruas escuras dessa cidade em chamas. Eu nunca soube o que de fato é melhor para mim. Arrisco apenas para ser feliz e não para ser perfeito. Enquanto tenho pesadelos com seu amor, noite após noite, eu caio em tentação ao perceber o recomeço de uma nova paixão. Eu sempre serei essa criança com asas e imaginação confusa. Há apenas um meio de fazer o perfeito se tornar algo bem convencional, chutar o mundo como se fosse uma coisa sem volta. E por mais que você sangre durante esse trajeto, lembre-se apenas de não ser perfeito, mas apenas um errante sutil."


(Denis Scarpa)

10 de fevereiro de 2012

My Way by Sex Pistols






"And now the end is near 
So I face the final curtain 
My friend, I'll say it clear 
I'll state my case of which I'm certain 


I've lived a life that's full 
I've traveled each and every highway 
And more, much more than this 
I did it my way 


Regrets, I've had a few 
But then again, too few to mention 
I did what I had to do 
And saw it through without exception 


I planned each charted course 
Each careful step along the byway 
Oh, and more, much more than this 
I did it my way 


Yes, there were times, I'm sure you knew 
When I bit off more than I could chew 
But through it all when there was doubt 
I ate it up and spit it out 
I faced it all and I stood tall 
And did it my way 


I've loved, I've laughed and cried 
I've had my fails, my share of losing 
And now as tears subside 
I find it all so amusing 
To think I did all that 
And may I say, not in a shy way 
Oh, no, no not me 
I did it my way 


For what is a man, what has he got 
If not himself, then he has not 
To say the words he truly feels 
And not the words he would reveal 
The record shows I took the blows 
And did it my way 
The record shows I took the blows 
And did it my way..." 





Eu NÃO sou punk, detesto rótulos!!!! Sempre pensei assim... Mas adoro Sex Pistols!!! Quem me conhece sabe né?! ahahahahhaha Aliás, gosto de muitas outras bandas punks!!! 



Karina Carreira

3 de fevereiro de 2012

The Runaways por Karina Carreira



Numa época onde só se via os homens fazendo rock' n roll, eis que surge "The Runaways" uma banda de rock Americana formada por garotas na década de 70. 

A banda começou com Joan Jett (guitarrista) e Sandy West (baterista) que ao se apresentarem ao produtor musical Kim Fowley, muito conhecido no cenário underground, acabaram sendo apresentadas ao restante da banda; Micki Steele (baixista), Lita Ford (guitarra) e Cherrie Currie (cantora)... Micki ficou pouco tempo e foi substituída por Jackie Fox. 

“The Runaways” gravou seu primeiro álbum em 1976, assinado pela Mercury Records. 


Excursionam pelos EUA, onde fizeram parte do cenário punk de Nova York e onde começaram aliança com várias bandas do movimento! 

Se separaram em 1979, pode-se dizer que por alguns excessos da vida rock ‘n’ roll, e por pressão e críticas da imprensa americana que não estava preparada para uma banda de meninas!!! Isso além de chocar a todos por sua atitude avançada demais para época... Sim, ali nascia uma nova geração! 


Um fator também importante para o término da banda foi o fato das integrantes não entrarem num acordo em relação ao estilo musical do grupo... A banda acabou, mas deixou a mensagem principal de que mulheres podem fazer Rock!!! 



The Runaways virou filme em 2010. O roteiro foi adaptado do livro "Neon Angel: A Memoir Of The Runaways" , escrito por Cherrie Currie, e dirigido e roteirizado por Floria Sigismondi. 

Eu assisti 129183287387483 de vezes e SUPER recomendo! ahahahahaha 


Karina Carreira.